Sistemas de comando variável de válvulas

Balancim flutuante variável

Balancins flutuantes variáveis permitem variar entre dois cursos de válvula (comutação do curso de válvula) ou entre curso total e curso zero (desativação de válvulas ou cilindros) em motores com comando de válvulas no cabeçote. Como resultado disso, a eficiência termodinâmica do motor pode ser otimizada, em dependência da carga do motor.

A alavanca de comando consiste de duas alavancas, uma dentro da outra, as alavancas interna e externa. A alavanca interna (alavanca primária) é apoiada no pivô hidráulico e a válvula do motor. O rolo no contato de cames transmite o curso pequeno para a válvula. A alavanca externa (alavanca secundária) é apoiada sobre a alavanca interna do lado da válvula mediante um eixo de rotação. A carcaça externa é posicionada contra o fim do encosto da carcaça interna mediante uma mola lost-motion. Ambas as carcaças podem ser interligadas através de um mecanismo de acoplamento. Em estado travado, o curso maior é transmitido para a válvula através da superfície deslizante na alavanca externa.

Alterações em relação ao comando de válvulas padrão:

  • Utilização de eixo de comando com três cames;
  • Válvula de comando integrada no circuito de óleo;
  • ECU com mapa de curvas características para controle da válvula de comando